5 indicadores do mercado financeiro que você precisa conhecer

Se você começou a investir agora ou simplesmente se interessa pelo mercado financeiro, com certeza já ouviu diversas vezes algumas siglas como: SELIC, CDI, IPCA, Etc.

Tratam-se de importantes siglas, utilizadas diariamente, que representam os principais indicadores do mercado financeiro!

Mas afinal, o que significa cada um deles?

IPCA

IPCA = Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

Esse indicador, é considerado pelo Banco Central o índice brasileiro oficial da inflação ou deflação. É medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – o principal provedor de informações geográficas e estatísticas do Brasil) para identificar a variação dos preços no comércio.

  • Mede a variação da inflação, ou seja, o aumento dos preços

  • IPCA nos últimos 12 meses: 2,54%

  • Meta do Banco Central para o IPCA em 2019: 4,25%

Selic

SELIC = Taxa básica de juros da economia brasileira.

Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia, mais conhecida como a taxa básica de juros da economia brasileira. É utilizada no mercado como o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação.

Pontos importantes sobre a SELIC:

  • Conhecida como taxa livre de risco, garantida pelo Tesouro Nacional 

  • Utilizada como base para taxas de empréstimos, financiamentos e investimentos

  • Definida periodicamente pelo Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central)

  • Atualmente, a taxa está em 5% ao ano e com expectativa de queda

  • A Selic é utilizada como forma de controlar a inflação

Gráfico Selic x IPCA, desde o ano 2000:

CDI

CDI = Certificado de Depósito Interbancário.

Pra entender o CDI é preciso entender a dinâmica dos Bancos de uma forma simples. O Banco Central determinou que todos os Bancos devem encerrar suas operações diárias com saldo positivo, ou seja, mais depósito do que saques.

Porém, muitas vezes tem mais saques (dinheiro saindo) do que depósitos (dinheiro entrando). Assim sendo, o banco precisa fazer um empréstimo justamente pra cobrir essa diferença e terminar o dia com o caixa positivo, conforme exigência do BC (Banco Central).

Para realizar esse empréstimo, os bancos pegam dinheiro emprestado de outras instituições financeiras, ou seja, outros bancos. Isso caracteriza uma operação interbancária (de banco pra banco), gerando juros.

Portanto, o CDI pode ser resumido como uma taxa que reflete o quanto os bancos estão ganhando de juros por emprestar dinheiro para outros bancos.

Pontos importantes sobre o CDI:

  • O CDI acompanha de perto (um pouco abaixo) a Selic 

  • Atualmente, está em torno de 4,9% ao ano 

  • Principal índice de referência do mercado

  • Utilizado para avaliar e comparar investimentos (% do CDI)

TR

TR = Taxa Referencial

Taxa Referencial surgiu para controlar a inflação na década de 90. Até hoje é uma taxa importante para a nossa economia para correção da Poupança, FGTS, Títulos Públicos e alguns financiamentos imobiliários.

A TR e sua divulgação são feitos pelo BC (Banco Central) e é utilizada para o cálculo da Poupança. Atualmente, a TR é 0.

Poupança

As cadernetas de poupança foram criadas por Dom Pedro II na década de 60 com o objetivo de remunerar depósitos com juros sob a garantia do governo imperial.

Até hoje, a Poupança representa o primeiro contato de muitos brasileiros com o mundo dos investimentos.

Tradicionalmente conhecida pelos brasileiros como um dos mais conservadores “investimentos” do mercado, juntamente com o Tesouro Direto.

Sobre a Poupança:

  • Investimento realizado em Bancos

  • Taxa de retorno = 70% da Selic + TR, se a Selic for inferior a 8,5% ao ano

  • Atualmente, a Poupança rende cerca de 3,5% ao ano

  • Possibilidade de resgate diário

  • Sua rentabilidade ocorre apenas no seu aniversário mensal

Gráfico CDI x Poupança, nos últimos 3 anos:

Pronto!

Agora que você já conhece os principais índices do mercado, vamos falar sobre como diversificar sua carteira de investimentos?

Previous articleDe startup a corporation

Siga-nos

Últimos artigos

De startup a corporation

Por Airton Seligman, em 04/11/19, IstoÉ Dinheiro. A maturidade do mercado tech e a conjuntura econômica atraem enxurrada de investimentos em capital de risco que pode...

Você quer ganhar só no curto prazo ou pela...

Por Glenda Mara Ferreira  O maior senso comum, aquele problema que todo especialista em investimentos enfrenta na hora de ensinar (e ajudar a ganhar dinheiro)...

O peso da experiência na jornada do cliente e...

Por Vagner J. Silva, consultor-associado E-Consulting Corp. Nesse atual ambiente econômico desafiador, ter mais que somente foco no cliente deve ser uma prioridade; é preciso...

O Efeito Prático do MVP – Mais Valor Produzido

Por Vagner J. Silva, consultor-associado E-Consulting Corp. Há 10 anos, o Roberto Meir, publisher da Consumidor Moderno me propôs, como sócio da DOM Strategy Partners,...

Similar articles

Instagram