Investimento em ouro vale a pena? Descubra!

O investimento em Ouro costuma ser lembrado por boa parte dos investidores. Isso acontece especialmente em períodos econômicos complicados, em que a rentabilidade da carteira tende a diminuir. No entanto, muitos ainda não sabem se vale a pena ou não investir na commodity.

Assim como o Dólar, o Ouro é um dos ativos mais utilizados para buscar proteção aos investimentos em épocas de crise. Por isso, é importante compreender o papel do metal precioso na carteira e os riscos — especialmente para quem faz aportes em renda variável.

Neste artigo, você entenderá se vale a pena fazer investimento em Ouro. Vamos lá?

Por que o Ouro é buscado por investidores?

Para saber por que o Ouro é tão buscado em períodos econômicos difíceis, é necessário abordar a sua descorrelação com a Bolsa de valores. De forma simplificada, é esperado que, em cenários desfavoráveis para a economia global e consequentemente para as Bolsas, a cotação do Ouro suba.

Ou seja, ele tem baixa correlação com outros ativos do mercado financeiro como as Ações – e, portanto, serve como alternativa para aumentar a diversificação da carteira, visando reduzir os riscos.

O principal motivo para isso é que períodos de crise econômica são marcados pelo aumento da procura pelo Ouro, já que ele é usado como proteção. Afinal, a oscilação no preço do ativo se dá pela lei da oferta e da procura.

Dessa forma, a commodity costuma ser muito utilizada como hedge, não só por investidores, mas também por governos de diversos países. Como todo investimento de renda variável, o Ouro também tem risco de perdas, por isso é importante saber manejá-lo.

Ao inserir investimentos em dólar e ouro, como forma de “seguros” para a carteira, busca-se diluir os riscos e possibilitar uma maior alocação em ações. Ou seja, o hedge permite proteger suas escolhas e reduzir as possibilidades de perda, assim como as consequências da crise.

Quais são as vantagens de ter o Ouro na carteira de investimentos?

No longo prazo, o Ouro tem se mostrado uma opção de investimento mais segura, com boa valorização nas últimas décadas.

Isso acontece devido às características dele. Um exemplo é que sua cotação não está diretamente relacionada às questões governamentais de nenhum país. Afinal, o Ouro é um bem que não pode ser fabricado. 

Outro ponto relevante é que ele é um recurso natural finito e raro, além de não estar sujeito à intervenções econômicas. Por estas características é utilizado por muitos governos e instituições como forma de proteção.

Assim, como explicamos, o preço do Ouro tende a se valorizar em tempos de crise. É também nesses períodos que ele costuma ter maior liquidez. O que, em geral, é um ponto positivo, dependendo dos seus objetivos.

Outro ponto interessante é que o Ouro pode ser usado para consolidar a diversificação, por causa da descorrelação com outros ativos. 

Quando vale a pena fazer investimento em Ouro?

Viu que, de forma geral, ter o ouro no portfólio pode ser uma alternativa interessante? A opção pode ser indicada para quem quer ter maior proteção contra variações dos preços, principalmente na renda variável.

Se a Bolsa passar por algum momento de queda, sua carteira de investimentos pode ser equilibrada pela valorização do metal. No entanto, para entender se realmente vale a pena investir em Ouro, é fundamental analisar o seu perfil de investidor.

Mesmo que a escolha seja feita visando maior segurança na carteira, existem riscos que não são suportados por todos os investidores. Quem é conservador, normalmente, tem pouco ou nada de renda variável no portfólio. Nesse caso, incluir o Ouro como investimento pode não fazer sentido. 

Já os investidores arrojados e, até mesmo, os moderados, têm porcentagens maiores do capital investido em renda variável. Assim, o metal pode ser uma possibilidade de hedge para carteiras expostas a maiores riscos. 

Ou seja, antes de investir em Ouro, o ideal é conhecer o seu perfil, as características da sua carteira e os seus objetivos. Com base nesses elementos, é possível compreender qual é o papel que o ativo exerce no seu portfólio e se ele realmente é importante para você.

Quais são as alternativas para ter o Ouro na carteira?

Existem diversas maneiras de investir em Ouro. O metal pode ser adquirido de forma física ou pelo mercado financeiro. Conheça algumas opções a seguir:

Fundos de investimento em Ouro

A forma mais simples de investir em Ouro é adquirir cotas de fundos com exposição a investimentos lastreados em Ouro. Além da rentabilidade do metal precioso, os fundos podem ter ou não exposição cambial ao dólar.

Portanto, é importante ficar atento a detalhes do investimento, incluindo a estratégia adotada, a liquidez, o prazo de resgate, entre outros fatores.

Ouro físico

Adquirir Ouro físico também é uma alternativa de investimento. Se você tiver interesse, podem comprar o metal. No entanto, existem burocracias para organizar a compra e venda do ativo, além dele apresentar baixa liquidez.

O Ouro só pode ser vendido por instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central. A compra é feita por meio de um cadastro que autoriza o investidor a ter o ativo físico. Além disso, você precisará escolher um banco custodiante para guardar seu ouro.

Guardá-lo em casa não é uma escolha segura. Assim, é importante ter atenção às desvantagens da operação com Ouro físico. Quando você opera pelo mercado financeiro, por outro lado, o processo é mais prático, seguro e tem liquidez maior.

COE

O Certificado de Operações Estruturadas (COE) é mais uma maneira disponível para quem deseja ter exposição ao Ouro na carteira. Ele é um produto montado por instituições financeiras e combina diferentes tipos de ativos.

Os COEs podem ser bastante diversos e você deve procurar por aqueles em que a estratégia de investimento envolva exposição ao Ouro. Ao optar por um produto, não deixe de entender o tipo e o funcionamento dele.

Deve-se verificar os custos embutidos que podem ser altos, além do vencimento, pois geralmente não há muita liquidez para resgate antecipado ou a instituição financeira pode cobrar multa nestes casos.

Neste post, você soube que incluir o investimento em Ouro na carteira pode ser uma forma interessante para alguns perfis de investidores. O ativo costuma ter uma função importante na proteção dos investimentos e também no equilíbrio dos resultados da renda variável.

Diversificou sua carteira e ficou difícil de acompanhar? Conheça a Fliper e consolide todos os seus investimentos de forma automática — inclusive fundos de Ouro — em um só lugar!

Quem se conhece, melhor investe!

Siga-nos

Últimos artigos

BDR: O que é, como funciona e como investir...

Já pensou em investir no exterior sem precisar abrir conta em corretoras de outros países? Se você ainda não sabe o que é BDR,...

Saque do FGTS: como funciona e como usar esse...

Quem trabalha com carteira assinada costuma se preocupar com o saque do FGTS. Afinal, a verba que é paga mensalmente pelo empregador pode ajudar...

Fundos de Pensão x Previdência Privada: quais as diferenças?

Um dos principais objetivos de quem investe com foco no longo prazo é planejar a aposentadoria. Duas opções de produtos financeiros voltados para isso...

Investimento em ouro vale a pena? Descubra!

O investimento em Ouro costuma ser lembrado por boa parte dos investidores. Isso acontece especialmente em períodos econômicos complicados, em que a rentabilidade da...

Similar articles

Instagram