Investir no exterior: por que diversificar seu patrimônio fora do Brasil?

Se você quer diversificar os investimentos ou busca mais segurança financeira para o seu portfólio, investir no exterior pode ser uma boa alternativa. Afinal, nos mercados estrangeiros, há uma ampla gama de opções para todos os perfis de investidores.

Por isso, é comum que quem já investe em renda variável no Brasil comece a se interessar pelos mercados internacionais. Entretanto, muitos investidores ainda não sabem quais são as principais vantagens de diversificar o patrimônio fora do país.

Continue a leitura e entenda se vale a pena incluir ativos estrangeiros na sua carteira e investir no exterior!

Mercado brasileiro x mercado dos EUA: quais as diferenças?

Para começar, vale a pena conhecer algumas particularidades da maior economia mundial. A principal diferença entre as bolsas do Brasil e dos Estados Unidos está no fato de que o mercado norte-americano é o maior do mundo. 

Para se ter uma ideia, em 2018, apenas 6 ações na bolsa dos EUA movimentaram mais do que a bolsa brasileira B3 inteira naquele ano. A Amazon, por exemplo – que possui as ações mais líquidas da bolsa americana, movimentava, em média, US$ 7,49 bilhões por dia. 

Fonte: Canva

Enquanto isso, ainda em 2018, o valor médio em dólares movimentado por toda a bolsa brasileira foi de US$ 2,413 milhões. Ou seja, somente a Amazon movimentava um valor 2,84 vezes maior do que toda a nossa bolsa. Impressionante, não é mesmo?

Com um mercado financeiro tão grande e importante, existem diversos índices que medem e organizam as empresas listadas nas bolsas americanas. Um deles é o S&P 500 (Standard & Poor’s 500), que reúne 500 das principais empresas norte-americanas, incluindo companhias de tecnologia, normalmente listadas na bolsa Nasdaq.

Índice S&P 500

O S&P 500 funciona como um termômetro da economia dos Estados Unidos — e do mundo. Afinal, se as maiores empresas estão inseridas no índice, significa que elas têm grande influência no mercado mundial.

Se elas vão bem, a tendência é que todo o mercado sinta os resultados positivos. E o contrário também acontece. Isso também reflete no mercado brasileiro, mesmo que o índice Ibovespa (nosso principal índice da renda variável) represente apenas uma pequena porcentagem do valor das empresas do S&P 500.

Para entender mais sobre o índice norte-americano e sua importância, conheça 10 das maiores empresas do S&P 500 em 2020:

  • Apple;
  • Microsoft;
  • Amazon;
  • Alphabet Inc (holding que controla o Google);
  • Facebook;
  • Berkshire Hathaway (empresa de Warren Buffett);
  • Johnson & Johnson;
  • Visa;
  • Walmart.

Benefícios de investir no exterior

Como você viu, o mercado brasileiro é somente uma pequena parcela entre tantas possibilidades ao redor do mundo. Então, existem diversos benefícios para quem opta por diversificar patrimônio e investir fora do Brasil. 

Conheça alguns motivos pelos quais você deveria considerar investir no exterior!

Maior estabilidade política e econômica

A política gera diversos impactos nos investimentos do país. Como não podemos controlar as decisões do Estado, alocar recursos no exterior pode ser uma escolha para aumentar a segurança dos investimentos.

A estratégia pode ser interessante para reduzir os riscos, principalmente se priorizarmos países com economias e organizações políticas mais estáveis — como é o caso dos Estados Unidos. Incluir investimentos em locais estáveis e fortes economicamente fortalece a sua carteira.

Menores riscos

Diversificar o capital é uma atitude benéfica para o portfólio. Não é à toa que muitos investidores já pensam em alocar uma parte do dinheiro em dólar para proteger a carteira de investimentos contra a variação do câmbio, por exemplo.

Não concentrar o patrimônio em poucos ativos traz mais segurança e dilui os riscos das aplicações. Se todo o seu recurso financeiro está em ativos no Brasil, ele está mais exposto a problemas nacionais — como possíveis mudanças políticas, falências ou profundas crises.

Isso não significa dizer que todos os seus investimentos devem ser internacionais. Mas incluir ativos estrangeiros pode ajudar a melhorar a relação risco x retorno da sua carteira.

Mais opções de investimento

Se você já investe no Brasil, pode ser interessante buscar novas oportunidades de investimento no exterior, especialmente na renda variável. Como vimos, uma carteira diversificada pode ter maior potencial de ganho e menores riscos.

Além disso, ao investir no exterior, você terá acesso a diversas opções de investimento que não existem aqui. Independentemente se o seu foco está no longo prazo ou na especulação, existem inúmeras alternativas de produtos e mercados para investimento e operação.

Entre as alternativas estão, os fundos de índices (ETFs), fundos imobiliários (REITs) e o mercado de ações. Nesse último, como você viu, são negociados papéis de grandes empresas, como Facebook, Apple, Microsoft, Amazon, entre muitas outras.

Lembrando que estes ativos possuem riscos, portanto é importante verificar se o investimento é adequado ao seu perfil e objetivos.

Exposição a uma moeda forte

Ter parte da carteira exposta a uma moeda forte, como o Dólar, também serve como uma forma de proteção para a carteira, pois elas tende a se valorizar frente às moedas emergentes em cenários desfavoráveis para a economia.

Possibilidades para o pequeno investidor

Agora que você entendeu as diferenças entre os mercados e os benefícios de investir no exterior, precisa conhecer as possibilidades para realizar investimentos. Será que investidores de menor capital podem ter acesso a mercados de outros países? 

Hoje, é fácil e acessível fazer investimentos no exterior e diversificar seu portfólio — até mesmo sem precisar sair do Brasil. E são muitas as possibilidades para investidores.

Um exemplo recente é que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) alterou a regra dos BDRs (Brazilian Depositary Receipts) – certificados de depósito de valores mobiliários, que têm lastro em ações internacionais. A partir de setembro de 2020, eles deixaram de ser exclusivos para investidores qualificados.

Além disso, é possível fazer investimentos atrelados ao exterior por meio de ETFs (ex: IVVB11, negociado na B3 e que segue a performance do S&P 400 em dólar), de fundos de investimentos (de ações e multimercados que investem lá fora) e COEs (Certificado de Operações Estruturadas). 

Existe, ainda, a possibilidade de abrir conta em uma instituição financeira dos Estados Unidos ou de outro país onde você quer investir. Com isso, é possível ter acesso aos ativos negociados nas bolsas estrangeiras. 

Agora que você sabe que as possibilidades de investimento não se limitam ao Brasil, pode analisar se vale a pena investir uma parte de sua carteira no exterior. E, se você deseja obter mais informações sobre o assunto, não deixe de acompanhar nosso próximo conteúdo.

No próximo artigo você conhecerá em detalhes algumas das principais alternativas de investimento no exterior que vale pena conhecer!

E que tal consolidar todos os seus investimentos em um único lugar de forma automática para acompanhar suas escolhas? Conheça o aplicativo Fliper, disponível para os sistemas Android e iOS com download gratuito, e acompanhe seus investimentos de maneira simples prática!

Siga-nos

Últimos artigos

BDR: O que é, como funciona e como investir...

Já pensou em investir no exterior sem precisar abrir conta em corretoras de outros países? Se você ainda não sabe o que é BDR,...

Saque do FGTS: como funciona e como usar esse...

Quem trabalha com carteira assinada costuma se preocupar com o saque do FGTS. Afinal, a verba que é paga mensalmente pelo empregador pode ajudar...

Fundos de Pensão x Previdência Privada: quais as diferenças?

Um dos principais objetivos de quem investe com foco no longo prazo é planejar a aposentadoria. Duas opções de produtos financeiros voltados para isso...

Investimento em ouro vale a pena? Descubra!

O investimento em Ouro costuma ser lembrado por boa parte dos investidores. Isso acontece especialmente em períodos econômicos complicados, em que a rentabilidade da...

Similar articles

Instagram