Como declarar e recolher IR dos Fundos Imobiliários em 3 passos!

Investir em renda variável pode ser uma maneira de diversificar seus investimentos e buscar uma rentabilidade acima da renda fixa. No entanto, é importante ter em mente as suas obrigações em relação à Receita Federal. Por exemplo, recolher o ganho de capital com Fundos Imobiliários (FIIs).

Como nas operações com este ativo o valor total do imposto de renda não é retido na fonte, é importante conhecer o assunto para saber como pagar os tributos devidos. Por isso, trouxemos este conteúdo.

Quer entender como funciona a tributação de FIIs? Continue a leitura!

O Imposto de Renda em Fundos Imobiliários

O Imposto de Renda faz parte da vida dos brasileiros, independentemente de serem ou não investidores. Ele incide, por exemplo, sobre o salário que fica acima de determinado valor utilizado como isenção a cada ano.

Receba seus informes de rendimentos de uma só vez!

Também é preciso pagar Imposto de Renda quando você obtém lucro fazendo a venda de um bem. É o que acontece ao comprarmos um imóvel e vendê-lo por um preço maior. Se há ganho de capital, parte do lucro é taxado. É justamente o que também acontece em Fundos Imobiliários.

Muitos investidores já sabem que os rendimentos distribuídos periodicamente pelos FIIs são isentos de IR. Contudo, se você compra uma cota e a vende por um preço mais alto, é preciso pagar um Imposto de Renda de 20% sobre o lucro líquido.

Veja mais detalhes:

Forma de recolhimento

Para fazer tudo corretamente, é importante saber como o recolhimento de imposto funciona. Primeiramente, ele não é automático — como ocorre no desconto em folha de pagamento ou em retenção na fonte em algumas aplicações de renda fixa.

Cabe ao próprio investidor pagar o IR referente ao ganho de capital com cotas de Fundos Imobiliários. A quitação deve acontecer até o mês seguinte dos ganhos — e não na declaração anual do IR.

Imposto dedo-duro

Como vimos, você é responsável pelo recolhimento do IR em caso de lucro com a venda das cotas. Existe um mecanismo que serve para informar à Receita Federal a respeito da venda. Na verdade, quando você vende papéis na bolsa de valores, há um recolhimento automático de IR – chamado de IRRF (imposto de renda retido na fonte).

Contudo, o percentual da dedução é bem pequeno (0,005% para operações comuns e 1% para day-trade). O objetivo é apenas deixar a Receita Federal a par da venda. Assim, ela tem condições de verificar se o investidor está cumprindo suas obrigações tributárias ao quitar o restante do imposto.

Diferenças entre FIIs e Ações

É importante ressaltar que a tributação dos FIIs apresenta uma particularidade em relação às ações: nos fundos imobiliários não há isenção de IR se, no mês, suas operações de venda na bolsa somarem menos de R$20 mil – como acontecem com os investimentos em ações.

Como declarar Fundos Imobiliários em 3 Passos

Você acabou de ter uma visão geral da tributação de FIIs e ETFs. Agora é hora de aprender recolher o imposto referente ao lucro líquido no mês.

A seguir, confira 3 passos para declarar Fundos Imobiliários:

1. Calcule o imposto a pagar

O primeiro passo é calcular o valor do imposto. Considere a alíquota de 20% sobre o lucro líquido.

Para calcular o imposto a pagar, pegue o valor das vendas no mês e subtraia os valores de compra. O resultado ainda não é exatamente o seu lucro, já que existem os custos que incidem sobre as operações. Por isso, a melhor maneira de apurar o lucro é consultar a nota de corretagem. Ela não só indica as taxas que foram cobradas como também mostra qual foi o Imposto de Renda retido na fonte. 

Lembre que é possível compensar prejuízos anteriores em operações com FIIs com lucros futuros. Depois de descobrir exatamente qual foi o seu lucro, siga para o próximo passo.

2. Acesse o Sicalcweb

Sicalcweb é o sistema criado pela Receita Federal para que os contribuintes emitam o DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais). É por meio dessa guia que você pagará o Imposto de Renda referente ao seu lucro.

Ao acessar a página do Sicalcweb, perceba que existe uma opção para a pessoa física e outra para a jurídica. Se você investe como pessoa física, escolha a primeira.

3. Emita o DARF

Em seguida, clique em “Preenchimento rápido”. Então, siga o passo a passo da página preenchendo os seus dados. 

Será preciso informar:

  • período de apuração – o último dia do mês em que você fez a venda;
  • número do CPF;
  • código da receita – 6015, que identifica ganhos líquidos em operações em bolsa;
  • data de vencimento – o último dia útil do mês seguinte ao da venda;
  • valor do principal – o valor do imposto a ser pago.

Dúvidas comuns sobre o IR de FIIs

Agora você já sabe como declarar FIIs e pagar imposto sobre seus lucros. Mas resta falarmos sobre algumas dúvidas que geralmente surgem.

Confira algumas delas a seguir!

O que é compensação de prejuízos?

O imposto em Fundos Imobiliários ocorre quando há lucro. No entanto, você também pode ter prejuízo na venda. Por isso, mantenha um bom controle sobre esses valores. O motivo é que você pode usar eventuais prejuízos para compensar o imposto sobre lucros futuros com FIIs.

Qual é o prazo para pagar o imposto?

O Imposto de Renda deve ser pago até o último dia útil do mês seguinte ao das vendas.

O que acontece se eu não pagar o DARF no prazo?

Se você atrasar o pagamento, haverá cobrança de multa e juros. Sendo assim, tenha uma rotina organizada para evitar erros. Afinal, isso poderia corroer o lucro dos bons negócios que você faz.

Declarar Fundos Imobiliários para a Receita Federal não é difícil, mas requer atenção. Inclusive, vale a pena controlar todas as operações. Assim, quando chegar a hora de pagar o imposto, será muito mais fácil!

Como organizar sua carteira de investimentos?

Na hora da declaração anual de IR quer receber todos os seus informes de IR das instituições financeiras de uma só vez? Utilize a plataforma Fliper, que consolida todos os seus investimentos de bancos, corretoras e FGTS de forma automática e te dá uma visão completa da sua carteira para você tomar melhores decisões.

Telas do app Fliper

Quem se conhece, melhor investe!

Siga-nos

Últimos artigos

O primeiro ETF de criptomoedas da bolsa brasileira

As criptomoedas vêm ganhando notoriedade a cada dia, não só pela sua tecnologia disruptiva, de ser uma moeda digital, que pode ser...

BDRs X Stocks: qual a melhor alternativa?

Olhe para o seu celular ou para o seu computador. As marcas deles são nacionais ou internacionais? Percebemos que muitas das coisas que consumimos no...

Os 10 fundos imobiliários preferidos dos investidores, segundo levantamento...

Você sabia que fundos de investimento imobiliários (FIIs) podem ser uma boa alternativa para quem ainda não possui altos valores para investir em imóveis? Por...

Investindo no exterior por meio de ETFs no Brasil

  Cada vez mais temos acesso a diferentes tipos de investimento, devido à evolução e amadurecimento do mercado financeiro no Brasil. Vemos que muitas pessoas...

Similar articles

Instagram