Ao analisarmos investimentos, é possível compará-los por diferentes parâmetros — como risco, liquidez e rentabilidade. No entanto, muitas vezes, esses fatores isolados não permitem chegar a uma conclusão. O índice de Sharpe é um indicador que pode ajudar nesse objetivo.

É preciso saber que os cálculos de índices não conseguem prever o futuro, mas podem embasar decisões de acordo com os desempenhos passados. A análise relaciona diferentes variáveis e, por isso, torna-se mais completa.

Neste artigo, você entenderá o que é e como funciona o índice de Sharpe. Continue a leitura e confira!

O que é índice de Sharpe?

Diversos indicadores financeiros podem ajudar os investidores a tomarem decisões mais assertivas. Nesse sentido, ter uma estratégia de análise é fundamental para montar uma carteira diversificada que possa ter uma boa rentabilidade, sem correr tantos riscos.

Para isso, é comum considerar indicadores variados. E o índice de Sharpe é um exemplo de parâmetro que visa medir a relação entre risco e retorno nos investimentos.

Ou seja, ele busca mensurar se alternativas mais arriscadas também apresentam um retorno que justifique o maior risco. O processo consiste em comparar o investimento que você está analisando com uma opção de risco mínimo.

Índice de Sharpe: entenda o que é

O índice foi desenvolvido pelo economista norte-americano William Sharpe. Ele é usado, principalmente, para avaliar fundos de investimentos. Isso permite que os investidores comparem diferentes fundos para escolher o que tem melhor relação entre risco e retorno.

Se você não quer se arriscar mais do que o necessário na hora de investir, o índice de Sharpe pode ser uma boa solução. Ao utilizar o parâmetro, pode ficar mais fácil optar por um investimento que tenha risco condizente com a possibilidade de retorno.

Quais são as principais características dele?

É importante ressaltar que o índice de Sharpe não fornece uma resposta definitiva sobre qual investimento escolher. No entanto, ele pode ajudar a entender qual é o investimento mais adequado para determinado perfil de investidor ou objetivo.

Entre as principais características do índice de Sharpe que você deve observar, estão:

  • o indicador é usado para comparar investimentos semelhantes ou com as mesmas características;
  • o índice de Sharpe não diz qual o melhor investimento;
  • o índice considera dados do passado que podem ou não se repetir no futuro;
  • o indicador ajuda a entender quais investimentos oferecem o maior retorno em relação aos riscos assumidos.

Como o índice de Sharpe funciona?

Agora que você sabe o que o índice de Sharpe, vale a pena entender como o cálculo é feito. Ele se dá pela subtração entre o retorno histórico de um investimento e uma taxa livre de risco. O resultado é então dividido pela volatilidade do investimento.

Assim, a fórmula matemática do índice de Sharpe pode ser expressa como:

Índice de Sharpe = (retorno – taxa livre de risco) / volatilidade

Geralmente, a taxa livre de risco no Brasil é considerada a Selic ou CDI. Assim, imagine que você pretende comparar dois fundos de investimento para identificar qual deles apresenta melhor relação entre risco e retorno. O rendimento histórico do primeiro fundo é de 8% e a volatilidade é de 1%.

Já o rendimento histórico do outro fundo é de 10% e a volatilidade de 2%. Suponha que a taxa Selic esteja em 2% ao ano. Realizando os cálculos, o índice de Sharpe para o primeiro fundo é de 6 e, para o segundo, é de 4.

Quanto maior for o resultado do indicador, mais eficiente é a performance do fundo em relação aos riscos que ele possui. Nesse exemplo, a rentabilidade do segundo fundo é maior do que a do primeiro. No entanto, os riscos também são mais elevados.

Isso é representado pelo menor valor do índice de Sharpe. Quando o resultado é muito baixo, pode significar que o fundo apresenta maiores chances de perda e, talvez, não esteja remunerando de forma proporcionalmente interessante. 

Com essas informações, você poderá analisar suas preferências e tomar decisões mais conscientes. Ao comparar investimentos semelhantes, como dois fundos multimercados, é possível refletir sobre qual apresenta melhor histórico de performance, levando em conta a relação risco x retorno. Exemplo:

Comparador de fundos: sharpe e rentabilidade

(Aviso legal: não se tratam de recomendações de investimentos)

Qual é a importância do índice para o investidor?

Ao investir— principalmente em renda variável —é fundamental basear suas decisões em informações confiáveis. Por isso, vale a pena usar bons indicadores. Afinal, o risco de mercado é significativo nesses investimentos e você deve ter um manejo de risco eficiente para se proteger.

É comum que algumas pessoas olhem apenas para a rentabilidade no momento de investir. Assim, elas focam nas possibilidades de retorno, mas deixam de lado questões importantes — como o risco/volatilidade e a liquidez.

Os três elementos formam o chamado tripé dos investimentos. É importante saber que não é possível ter ótimos níveis dos três juntos. Alternativas aparentemente muito rentáveis, por exemplo, geralmente não são muito seguras. 

Por isso, ao investir é importante considerar outros fatores além da rentabilidade. Para entender se vale a pena aceitar correr riscos maiores, o investidor deve buscar saber se esses riscos podem ser bem remunerados. Nesse caso, as possibilidades de rendimento compensam os riscos.

Nesse sentido, comparar a sua escolha de investimento com outro livre de risco ajuda a compreender o quanto você pode receber a mais do que se optasse pela aplicação segura. Ou seja, a importância do índice de Sharpe é indicar se uma alternativa pode ou não ser vantajosa para você.

Como usar o índice de Sharpe para fazer seus investimentos?

Depois de conhecer o índice de Sharpe e entender como o cálculo é feito, você pode começar a utilizá-lo para ajudar nas suas decisões de investimento. Na prática, basta comparar um fundo ou investimento com uma aplicação segura — de risco mínimo.

Como vimos, geralmente se utiliza a taxa Selic, baseando-se na rentabilidade do Tesouro Selic. Ele é um título público emitido pelo Governo Federal e, portanto, está entre os mais seguros do país. Também é possível considerar o CDI (certificado de depósito interbancário). 

Nesse caso, o rendimento utilizado na equação para investimentos livres de riscos será o valor da taxa Selic ou do CDI do período. Além disso, para realizar o cálculo será importante saber o retorno histórico do investimento ou fundo, assim como a volatilidade dele.

Gostou de conhecer o índice de Sharpe? Lembre-se de que o cálculo do indicador é apenas uma entre tantas ferramentas disponíveis para análise de investimentos. Ele pode ser útil, mas apenas comparar o parâmetro não é a única maneira de escolher os ativos!

Como analisar e organizar sua carteira de investimentos?

Agora que você conheceu o índice de Sharpe e como ele funciona, lembramos que a diversificação dos recursos em diferentes classes de ativos e instituições financeiras pode dificultar o acompanhamento e controle do patrimônio.

Entrar no site de cada casa para buscar os informes de IR e classificar seus investimentos em uma planilha de excel pode dar trabalho e tomar muito tempo.

Visando solucionar este problema, a Fliper é uma plataforma (aplicativo e web) gratuita que consolida todos os seus investimentos de bancos, corretoras e FGTS, de forma automática, e ainda envia todos os informes de IR das contas conectadas de uma só vez!

Ainda é possível acompanhar gráficos de rentabilidade da carteira, evolução patrimonial, analisar fundamentos dos ativos, receber notificações de proventos, disponibilidade de liquidez, entre diversas outras funcionalidades que ajudam o investidor a tomar melhores decisões.

Telas do app Fliper

Quem se conhece, melhor investe!